Publicado por: jSaggiomo | 09/08/2010

Modernização de elevador gera economia de até 40% no gasto de energia elétrica do prédio

Quando a manutenção mensal dos elevadores não consegue diminuir o índice de falhas em sua operação e as despesas com troca de peças, é hora de modernizar o equipamento.

Sua atualização tecnológica otimiza o tempo de viagem e possibilita ao condomínio uma economia de energia elétrica que chega a 40%, segundo Marco Antonio Saidel, professor de engenharia elétrica da Poli-USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo).

Outros benefícios são a maior segurança aos usuários, a valorização do imóvel e a redução de custos de conservação.

Empresas especializadas oferecem dois tipos de modernização: o tecnológico, que faz a atualização de máquinas e de componentes necessários ao funcionamento do equipamento, e o estético, que consiste na atualização da cabine e das partes externas –porta e botões de acionamento do elevador.

“Na modernização tecnológica geralmente é substituída a máquina de tração, responsável pelo movimento”, diz Francisco Bosco, diretor de operações da Atlas Schindler.

Fábio Aranha*, presidente do Seciesp (Sindicato das Empresas de Conservação, Manutenção e Instalação de Elevadores do Estado de São Paulo), indica a atualização se o elevador tem mais de 20 anos, sobretudo pela falta de peças de reposição.

No condomínio em que o administrador Jorge Rugitsky é síndico, no Jardim Europa (zona oeste), o maquinário de dois elevadores sociais de 40 anos foi trocado, e suas cabines, modernizadas. As cabines de dois elevadores de serviço também foram reformadas.

Conservação

“Só a troca das máquinas custou R$ 200 mil”, diz Rugitsky. Ele relata que a manutenção dos elevadores onerava muito o valor do condomínio, e os moradores viviam reclamando de panes nos equipamentos. “A conta de energia elétrica já baixou 35%”, calcula.

A legislação municipal de São Paulo obriga o cadastro de cada elevador no Contru (Departamento de Controle do Uso de Imóveis) e a nomeação de uma empresa responsável por sua manutenção mensal.

“Essa manutenção evita defeitos como desnivelamento excessivo entre a cabine e o andar, abertura das portas sem que a cabine esteja no andar correto, paradas no meio do trajeto e não atendimento às chamadas”, lista Edilson Rosin, gerente da Elevadores Otis.

A conservação não precisa ser feita pela fabricante do elevador. Outras empresas podem ser cotadas para realizá-la.

Fonte: Folha de São Paulo
ROSANGELA DE MOURA
colaboração para a Folha

Via: Blog do Stand Imobiliário

* Obs. o atual Presidente do SECIESP é o Eng. Jomar Miguel Alegre Cardoso.


Responses

  1. “Fábio Aranha, presidente do Seciesp” – O presidente atual é o Eng. Jomar Miguel Alegre Cardoso.

    Favor corrigir.

    Curtir

    • Caro Renan bom dia,

      Como você pode observar, a matéria foi retirada da Folha de São Paulo, portanto não sou o autor da mesma. Porém irei adicionar uma nota corrigindo tal informação. Seria interessante comunicar a Folha de SP de tal fato.

      Grato pela leitura de nosso blog e também por nos corrigir.

      Júlio Saggiomo
      Alternativa Elevadores

      Curtir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: