Publicado por: jSaggiomo | 27/09/2010

Seminário discute como arquitetos podem atender à Norma de Desempenho

Conhecer conceitos básicos de térmica e acústica ajuda a desenvolver projetos adequados à norma.

Renato Faria
Renato Faria

Luiz Henrique Ceotto, à direita, recomenda a concepção inteligente dos projetos

Dominar conceitos de transmissão de calor e sons, conhecer a performance de cada item especificado em seu projeto, estar atento à disposição dos ambientes e à implantação de um edifício habitacional – essas são algumas habilidades que os arquitetos deverão aprimorar para atenderem à Norma de Desempenho para edifícios habitacionais de até cinco pavimentos (NBR 15.575), em vigor desde o último mês de maio. O impacto da norma no cotidiano dos arquitetos foi tema de um ciclo de palestras realizado durante o 9º Encontro Regional da AsBEA (Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura) na última sexta-feira (24).

O engenheiro Luiz Henrique Ceotto, diretor de design e construção da Tishman Speyer, lembra que uma concepção inteligente dos projetos já é um grande passo para atender à norma. "Os projetos devem ter certa ‘malícia’. Por exemplo, deve-se evitar posicionar o poço do elevador, uma grande fonte de ruídos, atrás da parede do quarto. Mas, se isso acontecer, deve prever dispositivos que contribuam para o isolamento acústico, como uma parede dupla", exemplifica.

Ele sugere que os arquitetos busquem cursos com especialistas em conforto acústico e térmico para aprofundar os conhecimentos sobre conceitos de transmissão de sons e ruídos entre os ambientes. "Não é preciso se tornar um especialista, basta ter as ferramentas básicas para aplicar em seus projetos".

A tarefa não é simples, já que o próprio mercado ainda desconhece o comportamento de muitos produtos e sistemas construtivos tradicionais. "A norma estabelece requisitos mínimos de resistência ao escorregamento, por exemplo, mas muitos catálogos de pisos cerâmicos não trazem as informações sobre os coeficientes de atrito desses produtos", alerta Jorge Batlouni Neto, diretor da Tecnum Engenharia.

Ele destaca outros pontos polêmicos da Norma, como o não atendimento da caixilharia aos requisitos mínimos de isolamento acústico determinados na NBR 15.575. "Em locais pouco ruidosos, esse isolamento deve ser de, no mínimo, 25 decibéis. Ensaios laboratoriais mostram que janelas de correr com duas folhas de vidro só bloqueiam 15 decibéis, e as de três folhas (duas de alumínio e uma de vidro), 20 decibéis", revela. Ele defende o adiamento da exigibilidade do atendimento ao documento para março de 2012. "Os fornecedores precisam de mais algum tempo para adaptar seus produtos à nova realidade".

Já o administrador Marcos Bidart de Novaes falou sobre a importância da contratação de seguros profissionais por arquitetos com a entrada em vigor da Norma de Desempenho. Veja vídeo a seguir:

Via: PINIweb.com.br


Responses

  1. Could be the GREATEST post that I have read this week =D

    Curtir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: