Publicado por: jSaggiomo | 10/01/2012

Técnicos de segurança denunciam falta de profissionais

Edifício Amazon Business, onde ocorreu o acidente segue interditado - Foto: Mary Juruna
Os profissionais técnicos de segurança do trabalho vão realizar, nos próximos dias, assembléia da categoria para discutir sobre a ausência destes profissionais dentro das empresas em Cuiabá. Um dos locais onde eles fazem mais falta são nos canteiros de obras, locais que registram alto índice de acidentes de trabalho.

A mobilização é motivada pelo acidente ocorrido na última quinta (5), quando um elevador com seis operários despencou de uma altura de 18 metros na obra do edifício comercial Amazon Business, no bairro Santa Helena, em Cuiabá. A queda matou na hora o guincheiro Eurico de Jesus Ferreira, 38, e mestre de obras Agnaldo Alves dos Santos, 40.

Outros quatro operários foram levados ao Pronto-Socorro de Cuiabá, e um deles, o pedreiro Fernando da Conceição, não resistiu aos ferimentos e morreu no final da tarde da última sexta (6).

O técnico de segurança no trabalho, João Alves Cabral, que está acompanhando os familiares das vítimas, se diz indignado com o fato de que muitas empresas abrem mão da contratação dos técnicos de segurança, segundo ele, por encararem isso como despesa e não investimento. A contratação do técnico em segurança é exigida para empresas com mais de 20 funcionários. “Precisamos conscientizar as empresas de que a falta deste profissional nos canteiros é responsável por várias tragédias”, disse ele.

Segundo Cabral, o sindicato da categoria será acionado ainda esta semana, assim como o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de Cuiabá e Municípios (SINTRAICCCM) e a Superintendência Regional de Trabalho e Emprego (SRTE). A ideia é unir forças para obrigar as empresas a contratar técnicos.

Vítimas

Os carpinteiros Jonathan Palma da Silva e Washington Luis Isaque – que foram transferidos para o hospital Santa Helena – continuam internados na Unidade.  Washington, que respira com a ajuda de aparelhos, tem o quadro mais preocupante. Ele é mantido sedado e amarrado à cama, pois se debate muito e tenta retirar os aparelhos quando acorda. Jonathan apresenta quadro estável e chegou a acordar nesta segunda (9), mas não reconhece familiares nem consegue se comunicar coerentemente.

A sexta vítima, Elias da Silva, é a que tem o estado de saúde menos preocupante. Ele foi submetido a uma cirurgia ortopédica e passa bem, mas fará uso de colar cervical. Todos os feridos estão internados na UTI do Hospital Santa Helena.

Novas irregularidades

A vistoria que começou a ser feita na sexta pela superintendência no local do acidente mostrou novas irregularidades na obra onde ocorreu o acidente, entre elas a falta de bandejas em torno da estrutura para evitar a queda de materiais e valas e de proteção contra a queda de funcionários. A obra ainda está paralisada.

Fonte: Circuito MT
Neusa Baptista – Da Redação / Foto: Mary Juruna


Responses

  1. A indústria e a constru ão civil são os mais aquecidos ambos tiveram o crescimento de 5,4 e 8,1 , respectivamente.

    Curtir


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: